1

Treinamentos Corporativos: O que são e quais os benefícios para a sua empresa

11 minutos para ler
admin
Por Marketing

Os treinamentos corporativos permitem que a empresa desenvolva seus funcionários, oferecendo a eles conhecimentos e práticas ajustados aos desafios do dia a dia do negócio.

Toda empresa quer mostrar seus diferenciais, oferecer ótimos trabalhos, atrair clientes e, assim, se destacar no mercado, gerando ótimos resultados e deixando os consumidores satisfeitos. 

Mas, para fazer isso, apenas ter um grande produto ou serviço não é suficiente. Ter uma equipe ajustada e alinhada aos objetivos e valores do negócio é fundamental para que a empresa alcance o sucesso.

Mas, como fazer isso no ambiente corporativo?

Uma das melhores soluções é fazer isso dentro da empresa, estimulando o crescimento dos profissionais através de treinamentos corporativos.

Neste artigo, você irá conhecer o que são os treinamentos corporativos. Veja quais os benefícios destas atividades para as empresas e conheça exemplos de treinamentos que podem ajudar na evolução de seu negócio. Confira!

O que é um treinamento corporativo

Os treinamentos corporativos estão diretamente ligados à capacitação profissional dos colaboradores de uma empresa. 

Dessa forma, os ensinamentos podem envolver desde assuntos técnicos como a utilização de um software, por exemplo, ou mesmo envolver questões de relações interpessoais, como é o caso dos cursos com foco em comunicação.

Além disso, cabe ressaltar que os treinamentos podem ser oferecidos a partir de aulas, cursos, vídeos e uma série de alternativas escolhidas pela empresa. 

A partir dessa capacitação interna, os colaboradores conseguem melhorar suas habilidades, tornando-se mais produtivos e entregando produtos ou serviços com maior qualidade e dentro do prazo estipulado.

Os benefícios dos treinamentos corporativos para as empresas

Agora que você já compreendeu o conceito dos treinamentos corporativos, vejamos quais são os benefícios proporcionados por essas práticas. 

Além de oferecer melhor formação profissional para o colaborador, outros benefícios também podem – e devem – ser citados, como por exemplo:

Maior qualidade nas entregas

Conforme mencionamos anteriormente, os treinamentos corporativos podem abordar tanto questões técnicas, quanto questões sobre metodologias, produtividade e entregas. 

E isso facilita que cada colaborador tenha mais clareza quanto às funções que desempenha dentro da organização e possa melhorar o jeito com que executa suas atividades.

Com isso, o profissional se torna mais produtivo e motivado. E é claro que isso se reflete na lucratividade do negócio.

Menor quantidade de retrabalho

Outro benefício proporcionado pelos treinamentos corporativos é o trabalho cada vez mais elaborado, ágil e assertivo. 

Isso significa dizer que haverá uma redução do percentual de retrabalho e consequentemente, ganho de tempo. Principalmente se houver alinhamento sobre as entregas com o cliente e acompanhamento dos processos pelos líderes.

Dessa maneira, a satisfação do cliente aumenta e a empresa garante uma boa imagem no mercado em comparação com os concorrentes.

Diminuição do turnover

Alguns profissionais entram nas instituições com habilidades limitadas ou com conhecimentos defasados. 

Dessa forma, eles precisam de um treinamento profissional para que possam se adaptar à metodologia da empresa e assim, continuar fazendo parte da equipe de trabalho.

Além destes, existem também aqueles que se sentem desmotivados e incompatíveis com os valores da empresa. Assim, eles tendem a deixar o negócio, gerando um grande turnover (rotatividade de pessoal). 

Contudo, através dos treinamentos corporativos os colaboradores sentem que há um investimento da empresa sobre cada um. E isso desperta a valorização pessoal e diminui a porcentagem de profissionais insatisfeitos com o lugar.

Melhor relacionamento entre áreas

Os treinamentos corporativos podem ser feitos individualmente ou entre equipes, incentivando o trabalho colaborativo. 

Com isso, é comum que, ao final das atividades, os colaboradores entendam melhor o que cada setor faz e quais as pessoas que podem ajudá-lo com problemas específicos do dia a dia.

Como gerenciar crises internas na sua empresaPowered by Rock Convert

Inserção na cultura e política da empresa

Assim, o setor de compras pode se relacionar melhor com o setor de vendas, por exemplo. Enquanto isso, o financeiro pode agilizar os recursos para o setor de compras, facilitando assim, a rotina dos profissionais.

Por fim, o último benefício dos treinamentos corporativos é a possibilidade de apresentar e explicar ao funcionário como funciona a cultura e política do lugar. 

Ao alinhar essas questões, o colaborador poderá direcionar as suas atividades para alcançar os resultados desejados pela empresa.

Ainda, o profissional poderá reaplicar os valores em seu dia a dia e apresentá-los para colegas de trabalho. Assim, será mais fácil construir uma cultura sólida e motivadora para todas as equipes.

Leia também: Comunicação Empresarial – O que é e qual a sua importância para as corporações

Como estruturar um treinamento corporativo

Agora que tanto o conceito, quanto os benefícios dos treinamentos corporativos estão mais claros para você, é possível começar a pensar na implementação dessa capacitação profissional interna. 

Para isso, há um passo a passo que pode ser seguido, independentemente do tipo de negócio. Confira:

1. Faça o levantamento das necessidades da empresa

Antes de implementar o treinamento, é bom entender quais mudanças devem ser feitas na empresa. 

Para isso, é necessário estudar os resultados de cada equipe, fazer pesquisas sobre o clima organizacional e ouvir os colaboradores. 

Afinal de contas, eles podem mostrar os problemas que têm com a rotina de trabalho e, assim, ajudar a estabelecer prioridades.

Não adianta, por exemplo, investir em um treinamento técnico se o grande problema da empresa é o alto índice de rotatividade de pessoal (turnover). 

Dessa forma, investir em um treinamento onde são abordados pontos institucionais como por exemplo, missão, visão e valores da empresa poderá ser mais proveitoso tanto para os gestores quanto para os próprios funcionários.

Ou seja, ao ordenar as principais dores da empresa e entender as ligações entre elas, fica mais fácil definir por onde começar.

Leia também: Ruídos na comunicação – Veja como evitá-los na sua empresa

2. Planeje as etapas

Depois do estudo, é possível escolher um dos problemas e pensar em um plano de ação para ele, definindo pontos como:

  • Se o treinamento será presencial ou virtual;
  • Quem irá aplicar (empresa externa ou profissionais da própria instituição);
  • Qual será a periodicidade do treinamento;
  • Se haverá material de apoio ou não;
  • Como os colaboradores poderão acessar os conteúdos;
  • Quais atividades serão testadas.

É claro que esses são apenas alguns pontos que devem ser planejados antecipadamente. Além destes existem outros, que podem variar de acordo com a organização.

Além disso, cabe explicar que tais treinamentos podem ser realizados por empresas especializadas ou até mesmo pelos próprios colaboradores da organização, desde que estes tenham conhecimento sobre os processos da instituição e didática.

3. Implemente as ações

A implementação vem logo depois do planejamento. Essa é a etapa em que se coloca em prática o treinamento. Para isso, o gestor deve lembrar-se primeiramente de alinhar expectativas com o grupo escolhido.

Isso significa explicar aos participantes como será o processo e quais os objetivos que a empresa pretende alcançar com os ensinamentos que serão transmitidos.

Assim, os colaboradores conseguirão entender melhor os pontos principais apresentados para eles. Além disso, também poderão focar nas atividades mais compatíveis com cada necessidade.

Ainda é importante salientar que, em época de treinamentos, os participantes precisam direcionar horas semanais às aulas. Isso significa que algumas tarefas devem ser reprogramadas para que não haja atrasos na entrega e nem que sejam feitas de qualquer maneira pelo colaborador.

Leia também: Comunicação assertiva – O que é e como ela funciona

4. Meça os resultados

Por fim, os resultados dos treinamentos corporativos precisam ser mensurados, ou seja, precisam ser medidos e avaliados constantemente. Isso porque os gestores precisam saber qual foi a diferença que os ensinamentos anteriores fizeram na vida do colaborador.

Dessa forma, eles poderão decidir-se por continuar investindo em capacitações profissionais como as que já foram oferecidas inicialmente ou também poderão testar outras metodologias.

Assim, o ideal é sempre mensurar os dados e testar a efetividade de cada processo. Para saber como realizar esta mensuração, continue ligado no artigo.

Como mensurar o ROI de um treinamento corporativo

Um dos pontos mais importantes para o sucesso de qualquer programa de treinamentos corporativos em uma empresa, passa pela capacidade de avaliar os resultados, a partir das expectativas iniciais dele.

Aqui, estamos falando do ROI (Retorno sobre o Investimento) que o treinamento irá trazer para a sua empresa. Com esta análise, será possível verificar a eficiência de determinado treinamento e se é compensador realizar novos.

Esta avaliação é feita ao avaliar os KPIs (Key Performance Indicator, ou Indicadores Chave de Performance) do treinamento corporativo, que irão fornecer dados mensuráveis para esta análise.

Mas, como fazer isso para um treinamento corporativo? É o que você irá descobrir a seguir!

Como realizar a avaliação da eficiência de um treinamento corporativo?

Apenas coletar os KPIs de um treinamento corporativo não é o suficiente para uma avaliação completa do que foi realizado.

Para ensiná-lo a fazer uma avaliação completa em sua empresa, vamos utilizar o Modelo de Kirkpatrick, que é globalmente adotados para esta análise.

Este modelo consiste em 4 níveis de análise, que são:

Nível 1. Reação ao treinamento

Neste nível, o objetivo é mensurar como os participantes estão reagindo, diante de um treinamento corporativo.

Esta análise é feita a partir de pesquisas e questionários, realizado antes, durante e depois do treinamento, com o objetivo de permitir aos participantes descreverem suas expectativas iniciais, aquilo que mais os engajou, durante o treinamento. 

E o que eles acreditam, ao final do treinamento, que tenham sido os maiores ganhos de habilidades para o seu trabalho e sua carreira profissional como um todo.

Com este feedback, será possível avaliar se o treinamento esteve alinhado com as expectativas iniciais dos participantes e com as necessidades e objetivos do negócio.

Nível 2. Eficiência do aprendizado

Neste segundo nível, a avaliação é mais objetiva e visa verificar a evolução do nível de aprendizado dos participantes, após o treinamento ter sido concluído.

É avaliada a evolução dos participantes em relação às habilidade desejadas, atitude comportamental, conhecimento, comprometimento e confiança que eles adquiriram, ao completarem o curso.

Esta mensuração deve ser feita com base em objetivos de aprendizados bem definidos, tais como melhorar a performance em apresentações ou as habilidades com o PowerPoint, por exemplo.

Nível 3. Mudanças e melhorias comportamentais

Após o final do treinamento corporativo, no terceiro nível de análise, é preciso saber se o comportamento dos participantes evoluiu, a partir do conteúdo aplicado.

Esta é uma análise pessoal e que, portanto, deve ser realizada pelos líderes das pessoas que particiapmetem do treinamento corporativo.

Eles são os mais capazes de observar e determinar se as mudanças comportamentais desejadas foram alcançadas. Avaliando pontos de comportamento, tais como:

  • Os funcionários pararam de chegar atrasados?
  • Eles se tornaram aptos a concluírem as tarefas no tempo desejado?
  • Aprenderam a lidar com obstáculos inesperados em suas atividades?
  • O aprendizado sobre o correto gerenciamento de tempo no trabalho foi bem-sucedido?
  • Entre outras perguntas sobre comportamento que podem ser realizadas.

Nível 4. Resultados do treinamento

Neste nível de análise, o objetivo é mostrar o grau no qual os resultados do treinamento correspondem aos objetivos inicialmente programados.

Essa análise pode incluir o aumento mensal de unidades fabricadas e vendidas, aumento de assinaturas ou retenção de clientes antigos.

Tal mensuração pode ser realizada de maneira mais eficiente ao ser reunida com outros métodos. Por exemplo, uma empresa pode mensurar a evolução de um profissional que participou do treinamento, em comparação a um outro que não participou.

O que importa de fato compreender é que a alta competitividade é uma realidade cada vez mais presente para as instituições e exige que gestores e colaboradores mostrem seus diferenciais perante os concorrentes. 

E os treinamentos corporativos – quando aplicados de maneira correta – geram resultados positivos nesse quesito, favorecendo, inclusive, o crescimento contínuo e estruturado da organização.